quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

2018 - Hoje é um novo dia


Image result for ano novo

O ano está apenas começando e já sinto no ar aquele sentimento bom de que tudo pode melhorar de momento para outro. Então a dica é seguir em frente.  Confiante. Sem medo de ser feliz. Somos mais fortes do que se pode julgar e não vamos deixar de sonhar.  Que venha 2018 com toda a sua energia boa. Que nunca nos falte a fé em D-us e no que Ele pode fazer. Que se multipliquem os sonhos. 

Que as águas de Janeiro levem toda sujeira pra bem longe. Que haja paz dentro dos corações mesmo que o mundo esteja em guerra. "Ninguém é igual a ninguém" já dizia Carlos Drummond de Andrade bem antes de 1980. Então não vou me comparar a ninguém e muito menos seguir pela maioria. Somos únicos em muitos sentidos e múltiplos sentimentos. Peça direção a D-us e siga seus conselhos. Não espere do ser humano além das expectativas e assim você não vai se decepcionar tanto. Espelhe-se nos bons. Ande a beira mar e sinta a brisa. Respire fundo e recomece tantas vezes quanto necessário. Mas não desista no meio do caminho. 

Que venha 2018! Eu acredito no impossível.

Marion Vaz



quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Perdendo a fé na humanidade

Image result for raio

O problema causado pela Empresa que fornece energia elétrica no RJ que mencionei no post anterior me fez repensar na maneira como encaramos determinados abusos de poder. Não tenho uma estimativa sobre quantas pessoas passam pelo mesmo problema, mas sei que são muitas, talvez centenas, milhares de consumidores que, para evitar esse estresse, acabam pagando uma conta de luz fora do padrão de consumo. 

Perdi a fé na humanidade. Como disse antes, às vezes, a gente sente dificuldade de encarar o óbvio. Que existe mesmo esse processo em andamento em todos os Sistemas, Ministérios, Governos, políticos e até no bar da esquina em que todo mundo quer lucrar de qualquer jeito.

Enfim, nos primeiro meses fiquei paranoica. Vivia literalmente no escuro, com medo de acender uma lâmpada para a conta não vir tão alta. Achei que o problema podia ser lá em casa e acabei envolvendo minha família naquela loucura. Acho que isso durou uns dois meses. Dois meses de escuridão até vir a próxima conta com valor alto e ter sido tratada com descaso pelos atendentes da Light. Achava mesmo que até o meu advogado não acreditava que eu era inocente. Ás vezes, chorava sozinha. Entristecida por ter que passar por tudo isso e sem poder resolver nada.

Quando vejo alguém com uniforme dessa Empresa, penso logo que o tal sujeito está prejudicando alguém. É automático. Não posso controlar. Agora eu desconfio de tudo e de todos. Não acreditava em político ou agente policial, mas agora é congênito. Respeito, mas não confio. Porque à medida que o tempo vai passando e você percebe que existe uma falcatrua por trás do Sistema, fica difícil encarar a realidade, ter esperanças, desejar alcançar uma vitória. Entreguei tudo nas mãos de Deus pra Ele fazer justiça. Nele eu acredito.

O que essas pessoas não percebem, é que em troca de favoritismo, grana fácil, serviço mal feito, eles não estragaram só a vida deles, mas estão alterando a vida dos outros. Porque eu estou com uma dívida de R$ 21.000,00 de um consumo de energia elétrica que eu não fiz. Depois de uma vida difícil para criar e alimentar três filhas, passar uma série de problemas, passar fome em muitas ocasiões, morar em uma residência modesta, ser escolhida no "Uni duni te" para ser ludibriada. Porque é assim que eu penso e assim que eu me sinto. Imagino que como não sou a única com esse tipo de problema, quantas pessoas deixam até de beneficiar suas famílias e filhos só para pagar esse aumento atípico. É muita falta de consciência, de amor ao próximo, falta de caráter mesmo porque sabe que a graninha extra é fruto do engano, do erro, da injustiça. Pronto falei!

Então, a gente recorre as instituições com provas sobre o problema num equipamento da Empresa e é literalmente, tida como culpada, ignorada, tratada com descaso e até desrespeito. Eles acham que um número de protocolo resolve o problema. Esse funcionalismo me dá arrepios. É igual quando você chega passando mal num hospital e eles querem seu número de CPF. Só sei que de uns tempos pra cá fiquei mais seletiva, menos pessoal até com os parentes e amigos.

Que Deus me julgue e me abençoe e que castigue todos aqueles envolvidos nessa falcatrua.

Marion Vaz




Revoltz com minha conta de luz - A Saga

Image result for energia eletrica

Todo mundo precisa de energia elétrica! Aqui no Rio de Janeiro esse serviço é prestado pela Empresa Light (Tive que aprender a escrever esse nome kkkk). Sem energia corremos o risco de voltar a Idade da Pedra. O uso constante do produto em determinados horários acaba causando aquele pico de energia e em virtude disso foi criado o bendito horário de verão, que nem todo mundo gosta. A empresa Light fornece a energia e todo final do mês manda a conta do serviço prestado. Até aí nada de informação relevante porque todo mundo sabe disso.

Aconteceu neste início do ano de 2017 e, falando sério, relutei para postar o que vem acontecendo. Meu consumo mensal tem em média menos de 100 kWh o que dá um faturamento de R$ 100,00 que eu pagava todo mês. Ao contrário de muitos procuro manter as luzes apagadas em cômodos que não estou usando, porta da geladeira fechada, instalação elétrica com revisão periódica e uma série de outros hábitos saudáveis que me nomeavam uma consumidora padrão.

Mas em Fev/2017 levei um baita susto com a conta de luz. Quase R$ 500,00 reais de luz? Era feriado de Carnaval e só o que podia fazer era esperar para entrar em contato com a Empresa. Março chegou e fui até o setor administrativo de Madureira para falar sobre o assunto. Inocentemente achava que a Empresa iria encontrar o problema e me ajudar. Mal sabia eu que havia um "serviço" específico (Que descobri ao longo do tempo) em que o relógio de luz podia sofrer uma sobrecarga - Não sei como - ocasionando um furto de energia que era direcionado para o relógio e consequentemente para a conta do consumidor. Claro que eu não posso provar. Mas é um raciocínio lógico! Dá uma olhada na fiação desse poste de luz que manda energia pra minha casa! Isso não merece uma vistoria? A Light acha que não...


Se o consumidor paga a conta com "aumento atípico" (expressão usada pela ANEEL em seu e-mail para me dizer que não podia fazer nada apesar de apresentar quatro contas altas do tipo R$ 1.200,00, R$ 2.300,00) pode ser que o problema desapareça. Mas se, uma pessoa como eu, que não tem condições de pagar uma conta de R$ 3.000,00, mesmo porque eu não tenho status para tal consumo, a coisa vira uma bola de neve.

Em resumo, depois de apresentar todas as provas e imagens de dias alternados do relógio digital com alterações constantes de consumo no tal setor administrativo, minha reclamação foi considerada inconsistente. Voltei a segunda vez e o atendente me tratou com descaso. Fiquei chateada mas comecei a raciocinar sobre aquele tipo de pseudo atendimento. Fui orientada a buscar apoio na Auditoria da Light. Outro setor fantasma porque todos os e-mail eram respondidos com. "Caro cliente blá blá blá seu número de protocolo é 123456789. Foram tantos número de protocolos que me perdi. Confesso. Porque se reclamasse de novo tinha que informar o tal número, mas qual deles? No final de tudo, o tempo passou e as contas de luz começaram a se acumular. Até que... Sua reclamação é inconsistente. Agradecemos por ter nos contactado. Procure a ANEEL caso não esteja satisfeita. Mais ou menos isso!

Nenhum texto alternativo automático disponível.  Nenhum texto alternativo automático disponível.

Quadro expositivo do consumo em kWhs e suas alterações bizarras. Qualquer um que visualize já entende que há algo errado no equipamento da Light.

Com o número de protocolo da conta de R$ 1.200,00 reais, que jamais seria para uma casa modesta, enviei e-mail para a ANEEL confiando que alguém iria ler as informações num documento em PDF. Após quinze dias de espera recebi a notificação do órgão declarado mais confiável nestas circunstancia que, após eles entrarem em contato com a Light sobre o assunto em pauta, e apesar do aumento atípico minha reclamação não era coerente ou coisa parecida. Daí tirei minhas conclusões sobre aquele serviço secreto, não exposto no site. 

Entrei com uma ação judicial. Afinal eu não iria pagar por um consumo de energia que não havia feito e já estava na terceira conta altíssima. A primeira audiência foi um fiasco. O advogado da Light estava completamente à vontade como se fizesse aquilo o tempo todo. Não houve acordo e eu fiquei chateada de como tudo aconteceu. Às vezes, a gente fica relutante em aceitar o óbvio. Eu me senti uma peça de um jogo de xadrez. Um prédio lindo, imenso, gastando o dinheiro do contribuinte para audiências que não dão absolutamente em NADA - Pensei.

Com as contas em atraso e como se não houvesse um processo, a luz foi cortada e meu nome foi para o SPC. Por um período de 30 dias usei o relógio de outra pessoa monitorando para saber se tinha algum problema mesmo respectivo a instalação na minha residência, já que esse era o jargão usado o tempo todo. Os atendentes locais e virtuais ficam pressionando o consumidor com essa ideia para que a gente pague o valor cobrado indevidamente. 

Neste período em que a luz foi cortada a Light fez o registro do uso de energia no marcador e me enviou uma conta de R$ 1.600,00 reais. Avisou que o valor seria cobrado em duas vezes nas contas seguintes. Simplesmente assim, desse jeito e o fizeram sem que o consumidor tivesse a chance de processar o que estava acontecendo. Posteriormente a Light avisou ao meu advogado por e-mail que o religamento havia sido feito no dia X, confirmando que a luz estava cortada nesse período de 30 dias. Mesmo assim, sem usar o relógio, foi acrescentado mais um valor alto ao meu nome e CPF. 

O juiz determinou uma multa para cada dia de atraso no religamento do fornecimento de energia, já que havia um processo em andamento e eles agiram arbitrariamente. Esse um mês de multa foi ignorado. Não me pergunte porque! Não consigo entender porque uma ordem judicial foi desprezada até hoje. Se fosse um civil estaria preso por desacato. 

Com o processo em andamento, o relógio digital completamente apagado à meses (o que não permite o monitoramento, então eles podem colocar o consumo que quiserem) e nenhuma vistoria da Light no local de consumo até o momento, que por sinal  se tivesse sido feita desde a primeira reclamação, teriam detectado o problema trocado o relógio com defeito e trocado a fiação no poste de luz, e se fosse "gato" de alguém teriam detectado e evitado todo esse estresse e tormento que vem me causando. Ou eles acham que sou eu que tenho que perguntar: Vizinho, por um acaso você fez gato na minha luz? - Apesar que eu não acredito nisso, porque os meus vizinhos estão no meu Facebook e sabem que tenho postado sobre o assunto.

Segundo informação no Site da Light uma vistoria na unidade consumidora de um monofásico, que é o meu caso seria de apenas R$ 6,49. Sem comentários!

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Agora, se o meu consumo fosse realmente de R$ 1.200,00 e do nada passasse para R$ 100,00 com certeza alguém do "Sistema" já teria detectado e enviado alguém para averiguar. Enfim, com o ano de 2017 chegando ao fim e nenhuma pretensão de solução para o problema a minha conta de luz de dezembro chegou no valor de R$ 4.000,00. Lembrem-se eu moro numa casa padrão, ou seja, quarto, sala, cozinha e banheiro, varanda e um terraço com uma lâmpada em uso. Nada além disso.

Então resolvi expor o assunto aqui no blog. Sei que poucas pessoas vão se interessar em ler tudo, mas fica aqui registrada a minha indignação por ter sido tratada com tanto descaso pela Empresa fornecedora de energia elétrica. Sei que a maioria dos problemas são causados por funcionários e que a Empresa em si é apenas uma organização. Mas o Sistema Administrativo não está funcionando como belamente exposto no Site e quem sofre é o consumidor.

Agora fico aqui aguardando que em 2018 haja alguma solução. Quem sabe se mudarem de donos, de advogados, de funcionários, alguém mais justo possa resolver e descobrir onde está esse curto-circuito que vem causando esse aumento abusivo todo mês na minha conta de luz. Porque eu não acho que alguém em sã consciência acredite que eu possa gastar R$ 4.000,00 de luz numa casa tão pequena.

Eu penso que esse tipo de "Unidunitê" nem deveria existir, mas já que é assim, podiam pelo menos verificar quem é o dono do relógio e como essa pessoa mora. Afinal, o que devia ser "invisível" passou a ser tão claro quando a luz do dia. Pelo menos pra mim.

Marion Vaz

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Natal - Noite de Paz e Harmonia

Resultado de imagem para natal

Mais um fim de ano chegando e é claro aquele suspense no ar: O que eu vou ganhar de presente de Natal? Perfeito. Toda criança já fez uma lista sem fim daqueles presentes que supostamente papai Noel vai trazer. Minha netinha de três anos já escolheu os seus também. Interessante que, apesar do que tenha acontecido durante o ano todo, a gente fica naquela expectativa de que no Natal ou na virada do Ano Novo vai acontecer algo de especial. E não tem nada de errado nisso, a data comemorativa do nascimento de Jesus nos condiciona a pensar em coisas boas, desejar o bem e a paz em cada vida e cada lar.

Independente das crenças dezembro parece que atrai felicidade. É aquela correria para limpar e arrumar cada cantinho da casa , ir as compras, enfeitar a árvore de Natal e torcer para que o bom velhinho entre pela chaminé e deposite os presentes ao pé das luzes coloridas.

Sites e blog com seus contos natalinos, lojas e shoppings lindamente enfeitados. A Google e o Facebook não ficam de fora. E desde o início do mês, por exemplo já começou o festival de filme e desenhos com o tema. Só na Netflix já assisti uns quatro filmes sobre o Natal. E no desenrolar da história um deles me chamou bastante atenção. O Tio Noel fala da história de Fred, o irmão do papai noel que vivia encrencado. A fim de ganhar alguns dólares foi ao Polo Norte até a fábrica do Noel para ajudar o irmão. Além de mostrar os preparativos, os duendes  correndo de um lado para o outro aplicados em terminar os presentes da crianças, o filme faz referência ao dilema familiar de que "quem vive à sombra de uma árvore grande" como era o caso de Fred.

Em resumo, para se redimir de um erro, o tio Noel tem que entregar os presentes das crianças em uma única noite para salvar a fábrica que iria fechar por causa de um vilão e trazer felicidade aos rostinhos infantis. Nesse corre-corre ao redor do mundo ele entra pelas chaminés, coloca os presentes e come as guloseimas que são deixadas a parte só pra ele. Uma tradição que não podia ser quebrada.

É véspera de natal, aquela data em todo mundo perdoa as ofensas, dá presente, faz mil promessas para o ano seguinte - Uma data que tradicionalmente uni todas  as pessoas do mundo num só propósito - O nascimento do Salvador... Ops! Tio Noel entra na casa de uma família judaica e só se dá conta disso quando vê todos sentados à mesa num jantar de Shabbat ou Chanuká. Os homens de kipá e mulheres com roupas lindas.

Tio Noel fica parado por alguns segundos como se estivesse pensando: O que eu estou fazendo aqui? Ele sorri e diz: Mazal Tov - Uma expressão usada para datas festivas de casamento, nascimento, aniversário. Mazal Tov. Repete. O dono da casa também sorri e oferece algo que está na mesa. Tio Noel aceita e come com satisfação. Experimenta outros doces como se já tivesse comido antes e dizendo o quanto são gostosos e sai de fininho sem deixar os presentes e falando alto shalom, shalom.

Esse parênteses que o roteirista abriu no desenrolar da história me fez sorrir também. Não seria esse mesmo o propósito  não só do natal, mas de todos os meses no ano? O respeito as diferenças, as crenças, as tradições do próximo? 

Alguém que mora em Israel postou uma foto no Facebook em que uma pessoa caracterizada de papai noel com sua barba branca e roupa vermelha estava em pé diante do Muro Ocidental orando a Deus. O comentário foi: "Todo mundo é bem-vindo a orar aqui". Ninguém se sentiu agredido ou ofendido. Nem mesmo os judeus que estavam ali também concentrados em salmodiar e adorar a Deus. Jerusalém - Cidade da Paz! O nome da Capital de Israel é também um convite a todos os povos que desejam harmonia e paz em seus corações.

Que neste Natal, nesta data festiva possamos nos unir uns com outros e celebrar não só o nascimento do menino Jesus em Beit LeChem (Belém de Judá), mas também a esperança de uma vida repleta de amor, paz e serenidade, uma vida de comprometimento com a paz verdadeira. E que sejamos gratos a Deus. Aí sim posso te desejar: Feliz Natal e Próspero Ano Novo. Aí sim te desejo: Shalom!

Marion Vaz



quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

A Bíblia e sua relevância

Imagem relacionada

Interessante essas datas comemorativas que insistem em fazer parte do nosso dia a dia. O calendário está repleto delas para nos lembrar de fatos importantes. Cada data vem acompanhada de história, personalidades e vitórias de pessoas que lutaram por um ideal. Infelizmente, no Brasil, e particularmente no Rio de Janeiro onde moro ainda não fomos educados para compreender o valor e o significado delas e assim muitos desses dias passam literalmente em "branco".

Aconteceu de novo em uma reunião religiosa, como no ano passado em que nem sequer foi mencionado que naquele domingo era o Dia da Bíblia. Não sei por causa e efeito da liturgia do culto que foi implantada nesse modelo de igreja evangélica ou se foi esquecimento mesmo. O fato é que em dois anos consecutivos o dia da Bíblia foi ignorado. Esse lado negativo de uma liturgia moderna em que se dá mais enfase a comunicados, ofertas e obras inacabadas me incomoda. Não consigo me sentir a vontade numa reunião em que o culto devocional é direcionado a conscientizar os crentes de que "dar é melhor do que receber".

Claro que essa data foi comemorada em muitas igrejas com cânticos, peças teatrais, brincadeiras para as crianças, palavra de incentivo a leitura bíblica e orações.

Isso porque a Bíblia é o alimento diário e eficaz que sustenta a nossa vida espiritual. É através da leitura e do estudo da Palavra de Deus que nos fortalecemos para enfrentar os problemas da vida e para ter mais comunhão  com Deus.

Dedicar um dia do ano para tal comemoração não tem nada de errado ou "não espiritual" como alguns pensam. Além do mais, as datas que marcam o calendário são importantes em seus diversos padrões. É inegável que todos nós tenhamos em mente que a Bíblia é muito mais do que uma coleção de histórias e fatos do passado. Ela é a única fonte de nutrição espiritual em que os ensinamentos abrangem todas as áreas da nossa vida, seja física, emocional, educacional, financeira. 

A Bíblia é e contém a Palavra de Deus, as ordenanças do Eterno, as experiências do povo de Israel em sua caminhada, a vida e ministério de Jesus e seus mandamentos para a Igreja do Senhor. Não existe um só texto no livro sagrado que você não possa observar um ensinamento para o seu crescimento espiritual. E mesmo assim, muitas pessoas passam a semana inteira sem sequer tocar nele.

Nossa concepção de religiosidade tem mudado bastante nos últimos anos. Em alguns pontos o fator é até positivo, mas considerando a desatenção que damos a Bíblia em função da aglomeração de pessoas em cultos devocionais em que só a musicalidade envolve e diverte a todos me assusta. 

Sem um envolvimento com a Palavra de Deus muitas dos nossos sentimentos, ações e realizações ficam comprometidos independente dos nossos esforços. O Dia da Bíblia não só nos lembra  da importância do texto sagrado como também desperta para a relevância dos Preceitos do Senhor.

Na cultura judaica a festa de Simchat Tora é realizada com muita alegria em todos as cidades de Israel e Comunidades judaicas por todo o mundo. Isso porque o término da leitura dos livros da Tora é tido como uma vitória. Há manifestações nas ruas com danças e cânticos e muitos rabinos levam a Torá em seus ombros e dão glórias a Deus. O Muro das Lamentações em Jerusalém fica repleto de religiosos que dançam e cantam, além de fazer suas orações diárias. Percebe-se não só o valor que se dá ao texto sagrado e as ordenanças de Deus como também se estabelece o grau de gratidão e temor ao Eterno.

Resultado de imagem para simchat torah no kotel

Imagem relacionada


Precisamos voltar as nossas raízes e redescobrir a Bíblia como fonte inesgotável de bênçãos e valores. Precisamos educar nossas crianças nos preceitos do Senhor, mentoriar jovens e adolescentes para perpetuarem uma tradição de leitura bíblica devocional diário.

Resultado de imagem para leia a bíblia

Muitos de nossos problemas são consequências do abandono da Palavra de Deus. Chegamos ao ponto de que ministros e líderes eclesiásticos que seguem carreiras políticas serem absurdamente corruptos e mau caráter! Que a contextualização  de textos e fatos que usam em seus discursos são da mesma Bíblia que condena sua postura. E o fazem sem qualquer intimidação. Todo dia uma notícia de corrupção e roubo que envolve nossos políticos com o aval de outros.

Leia a Bíblia diariamente, crie um local e uma oportunidade para se envolver mais no estudo da Palavra de Deus. Existe uma variedade de devocionais à disposição de todos através dos livros e da Internet, mapas, sites e blogs com material digno de atenção e créditos. Não temos justificativa para sermos ignorantes em relação aos textos sagrados. 

O Dia da Bíblia nos adverte que Deus deu uma revelação da Sua vontade, que nos deu Mandamentos para cumprir no dia a dia, nos relacionamentos familiares e para com o próximo. É mais que uma data especial, é um dia de conscientização do que realmente estamos fazendo e quanto estamos dispostos a fazer para agradar a Deus e cumprir suas ordenanças.

Marion Vaz 


terça-feira, 28 de novembro de 2017

Superar a si mesmo

Imagem relacionada

Superar uma fase ruim nem sempre é fácil, depende muito da própria pessoa, da sua autoestima, de ajuda externa, da gravidade do problema e também da vontade que existe dentro de cada um de nós. É muito fácil criticar alguém que, não vendo saída para algum problema ou doença, fica lá sentado no sofá ou deitado numa cama, esperando o tempo passar.

E também é muito comum que, a medida que o tempo passe, a pessoa fique irritada, desconfortável com aquela situação, desmotivada e completamente alheia até mesmo a alguma atitude de bondade que outros possam ter por vê-la naquela situação. Para alguns é, talvez, até uma humilhação depender de alguém para as tarefas mais básicas da vida. Talvez, toda irritação e mau humor acarretem mais problemas do que a doença em si. Acontece.

Se você já passou por algo parecido sabe que nem sempre é fácil ficar ouvindo palavras de ânimo ou experiências de A ou B que nos momentos mais difícil, tiraram forças do nada e venceram suas dificuldades. Sabe aquele blá blá blá sem fim? Pois é. Ainda mais se você não pediu e não quer receber visitas. É uma droga mesmo!

Mas o problema todo se agrava quando a pessoa mal-humorada passa a querer ser o centro das atenções, a achar que todo mundo tem que ter paciência porque ela tá "assim ou assado" como diz a gíria. Que toda a sua falta de educação tem que ser ignorada e que ela, "coitadinha" não tá naquela situação porque quer... 

Acidentes acontecem... Quem está livre das agruras da vida? Quem pode evitar as adversidades?Ninguém! Concordo! 

Mas, pode ser, que os efeitos colaterais de uma reação em cadeia não tenham chegado ao fim... O nosso maior erro é achar que "amanhã tudo vai melhorar" independente do que fazemos hoje. e assim, no decorrer da vida trocamos afagos com uns e ignoramos outros. Somos otimistas em alguns assuntos e praticamente desprezamos outros. Até que...

"Não fará justiça o Juiz de toda a Terra?" Indagou Abraão ao interceder a Deus pelos justos que ele julgava ter em Somoda e Gomorra. Parei para pensar sobre isso hoje. Nessa quantidade de expectativa que a gente coloca em Deus e no próximo.

Acreditamos que à medida que alguém é submetido as amarguras da vida que a pessoa vai redefinir as suas prioridades, vai desatar as duzias de nós que prejudicaram outros, que diante da fragilidade da vida humana vai reconsiderar e até mesmo mudar a maneira como trata as pessoas... Mas nem sempre isso acontece. 

Superar a si mesmo neste sentido requer mais esforço do que recuperar as funções psíquicas, motoras ou sensitivas. Requer readaptação ao novo ambiente que hora se mostra favorável quando o antigo é apenas uma fuga da realidade. É uma renovação de mente, alma e espírito quando o corpo está fragilizado. 

Mas este tipo de superação não é obtido por interversão externa, conselhos, orações de um mediador. Acontece de dentro para fora, como uma transformação ativada pelo desejo pessoal de quem realmente quer algo melhor para sua vida. O "dane-se todo mundo" dá lugar ao novo "eu" que pretende perdoar, amar, dar continuidade a família, seu bem maior. No caso se isolar não é a melhor solução.

Superar a si mesmo não porque alguém insinuou que a pessoa está sufocando seus familiares, que seu mau humor está afastando as pessoas, que seu desagrado é desnecessário e está roubando a paz e o sorriso daqueles que estão ao seu lado. 

Mas porque de alguma forma, todo aquele infortúnio afetou sua vida consideravelmente a ponto da pessoa precisar viver mais e plenamente.  E isso só é possível quando nos desprendemos do passado, não das pessoas! 

Mas como disse no início, nem sempre é fácil 


Marion Vaz

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Projeto Social Josué

Resultado de imagem para vassoura tinta e pincel

Tem coisas na vida que parece uma caixinha de surpresa em que você tem que adivinhar se são boas ou ruins. Mas a nossa mente tem essa capacidade de fazer escolhas, de pensar, de opinar, de estabelecer prioridades. O Projeto Josué, Calebe, Paulo, Natanael, são ideias que surgem em determinadas igrejas para justificar o comportamento do crente em relação ao próximo. Assim, se você vestir uma camisa e sair por ai ajudando alguém... Você está dentro! 

Não como aquela campanha "Criança Esperança" que arrecada milhões de reais para ajudar os projetos em curso ou implementar outros. Porque aqui ninguem investe dinheiro só trabalho. Caridade à parte, quem sai realmente ganhando? O que está por trás de todos os sorrisos e pedidos de ajuda? 

Com base em textos bíblicos as igrejas vem colocando nas ruas em determinados períodos do ano, um grupo de crentes dispostos até a varrer calçadas e limpar as casas dos outros para mostrar o amor ao próximo ou que fazemos parte da Comunidade. Um projeto social, sem dúvida. Um projeto que ajuda muita gente e sensibiliza os necessitados. Mas será que se quer visibilidade com isso? 

Talvez isso não conte muito para a massa de classe média baixa que compõe a maior parte dos selecionados, que encara o projeto como um desafio, um trabalho social, um cumprimento do Ide de Jesus. E com certeza tem um retorno tanto no sentido espiritual quanto material, pois existe muita gente carente de uma ajuda braçal. 

Mas sinceramente, no último vídeo via redes sociais, achei um discurso desapropriado do organizador do programa desafiar o Prefeito da cidade do Rio de Janeiro, mostrando que tinha deixado sua residência para pintar um muro. Parecia mesmo uma alusão a propaganda política do tipo: "Você não fez então estou fazendo'. Não foi de bom tom a menos que se queria mesmo ter visibilidade nacional, contrariando o discurso de Jesus: "Não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita' (Mt 6.3) -  E que isso não sirva de anedota sobre partidos políticos (risos).

Caso venha a acontecer, seremos testemunha de mais bate boca através do Twitter, programas de televisão e vídeos no Youtube. O que também não vai ser nada agradável de se ver. E que na minha humilde opinião descaracteriza o trabalho de "Bom Samaritano". 

Rendimentos à parte, fica aqui um aplauso àqueles que prontamente se identificaram com o Projeto e "lançaram mão ao arado". E também uma dica: Não adianta fazer bonito lá fora se dentro da própria casa não se tem compromisso. Então, dê uma boa olhada em volta pra saber no que realmente está investindo.

Marion Vaz